Vasco

Ricardo Graça concede entrevista coletiva no CT Moacyr Barbosa

Na tarde desta quinta-feira (30/09), o zagueiro Ricardo Graça concedeu uma entrevista coletiva no CT Moacyr Barbosa. Nesta temporada o camisa 36 vem se destacando pelo Cruzmaltino e foi fundamental na ...

Por Redação

há 2 meses


Ricardo Graça concede entrevista coletiva no CT Moacyr Barbosa


Na tarde desta quinta-feira (30/09), o zagueiro Ricardo Graça concedeu uma entrevista coletiva no CT Moacyr Barbosa. Nesta temporada o camisa 36 vem se destacando pelo Cruzmaltino e foi fundamental na vitória por 2 a 0 sob o Goiás na última segunda-feira (27). Ricardo avaliou a melhora defensiva da equipe nas últimas partidas. Para o zagueiro, o lance mais bonito contra o Goiás foi a recomposição defensiva após um escanteio rebatido pelo time adversário.

– A nossa recomposição é assim mesmo. A nossa regra é passar da bola e dar a vida. Esse lance aí foi o mais bonito do jogo para mim. Não foi a gente saindo com posse de bola. Eu até brinquei, mandei no nosso grupo. Aquilo ali é primordial, não só para mim, para todos. Para o professor. Quando a gente perde a bola, todo mundo passa da linha da bola e dá o seu melhor. Eu, Castan, Marquinhos Gabriel, Morato… a gente abaixa a cabeça e sai correndo. Nem vê onde a bola vai. Eu dou um pique e nem vejo. Quando vi, a bola já estava com o Marquinhos. A nossa recomposição foi muito boa. Mas eu não posso falar só da defesa. Tem o pessoal da frente. É um grupo, é o coletivo. A nossa recomposição, a nossa vontade de marcar é o diferencial para dar certo – contou o zagueiro.

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Desde a chegada do técnico Fernando Diniz pode-se notar uma melhora ofensiva e principalmente efensiva do Gigante da Colina. Em quatro jogos com o treinador, o Vasco sofreu dois gols. O goleiro Vanderlei passou em branco nas duas últimas partidas. Ricardo elogiou o sistema defensivo implementado pelo comandante e revelou algumas mudanças feitas na equipe.

– O Diniz é inteligente. O sistema defensivo não é só o zagueiro ou laterais ou goleiro. É um todo. A nossa melhora é porque o pessoal lá da frente está ajudando, o Cano, o Nenê, Marquinhos Gabriel. Eles dão a vida. Temos uma regra aqui que é todo mundo passar da bola, passar para trás. Isso ajuda bastante, são todos jogando, todos marcando. A marcação começa lá na frente e aí tudo fica mais fácil – acrescentou Ricardo Graça.

Confira outros trechos da entrevista coletiva:

Importância de Castan

“É um exemplo para mim e para todo o grupo. É o capitão. É exemplo dentro e fora de campo. É só ver a trajetória dele. Seleção, Europa, campeão da Libertadores. Estar perto dele é uma satisfação enorme. Ele tem uma liderança que poucas pessoas têm. Nasceu com ele e vai morrer com ele. É surreal. É um exemplo para mim. Se você quer seguir um exemplo, é só ver o que ele está fazendo.”

Improvisação como lateral-esquerdo

“Desde que o Fernando chegou, ele sempre trabalha todo mundo em várias funções. Não chamamos de posição. Durante os jogos, se tiver que fazer, faço para ajudar o Vasco. O importante é jogar e ajudar o Vasco. Minha posição de origem é zagueiro, mas o importante é ajudar o Vasco.”

Recomposição defensiva

“A nossa recomposição é assim mesmo. A nossa regra é passar da bola e dar a vida. Esse lance aí foi o mais bonito do jogo para mim. Não foi a gente saindo com posse de bola. Eu até brinquei, mandei no nosso grupo. Aquilo ali é primordial, não só para mim, para todos. Para o professor. Quando a gente perde a bola, todo mundo passa da linha da bola e dá o seu melhor. Eu, Casta, Marquinhos Gabriel, Morato… a gente abaixa a cabeça e sai correndo. Nem vê onde a bola vai. Eu dou um pique e nem vejo. Quando vi, a bola já estava com o Marquinhos. A nossa recomposição foi muito boa. Mas eu não posso falar só da defesa. Tem o pessoal da frente. É um grupo, é o coletivo. A nossa recomposição, a nossa vontade de marcar é o diferencial para dar certo.”

Andrey e seu substituto

“Desde que jogo com ele na base, ele nunca se escondeu do jogo. Sempre se apresenta. Ele tem seleção de base, fazendo gol, sendo artilheiro. É importante para gente, é agressivo, sabe jogar, tenda dar o melhor, dá enfiada de bola, chuta bem para o gol. O Bruno Gomes é novo, começou em 2019 com a gente. Se ver o VT do primeiro tempo contra o Goiás, ele jogou muito. A nossa saída de bola passou por ele. Foi o nosso melhor. Temos outras opções e tenho certeza de que o Diniz vai escolher o melhor para ajudar o Vasco.”

Torcida

“Sou suspeito para falar. A torcida do Vasco é diferente. Com eles, é difícil de ganhar da gente. Ela empurra o tempo todo e, com certeza, vai fazer diferença na reta final.”

Posse de bola

“Com certeza, se você tem a bola, o adversário não te ataca. Isso diminui a chance de sofrer gol. Isso, claro nos ajudou muito defensivamente. O time é um conjunto, por isso, falo do pessoal da frente. Se continuar assim, vamos colher frutos.”

fonte: https://vasco.com.br/ricardo-graca-concede-entrevista-coletiva-no-ct-moacyr-barbosa/

Outras noticias do Vasco

  Vasco empata com o Cruzeiro pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro